RSS

2 de dezembro de 2007

Foz de nosso amor



Sou o rio calmo e tranqüilo
Tu és o mar bravio e forte
Chego a ti em total sigilo
Tu não te contentas com a sorte

Mesmo que a maré vazante nos afaste
Sigo mansamente ao teu destino
Sabendo que não há obstáculo que te baste
Encontro a ti, cometendo um desatino

Misturamos, os dois em ondas, dispersos
Minha calmaria junto da tua loucura
Nossas águas, espumas e versos

E assim vivemos na alegria e dor
Eu te alcançando na ternura
Tu rompendo em ondas nosso amor

Marcelo Marinho

Nenhum comentário: