RSS

9 de novembro de 2008

Candida: Prevenção e Tratamento




Candida

Candida é um fungus comum normalmente controlado pelo sistema imunológico. Se o seu sistema imunológico sofre de imunossupressão, o Candida pode se desenvolver nas membranas mucosas ou em outro lugar do seu corpo, causando o sintoma conhecido como Candidíase (Candidíase oral).

Pessoas HIV-negativas podem sofrer Candidíase quando seus sistemas imunológicos estiverem regularmente abaixo do nível funcional normal devido a estresse ou álcool ou condições, como o diabetes. A Candidíase pode também afetar pessoas tomando antibióticos, já que estes matam temporariamente algumas das bactérias inofensivas que habitam o nosso organismo, o que gera uma oportunidade para o candida tornar-se patogênico.

Dentre as pessoas com HIV, é relativamente comum uma Candidíase leve na boca, mesmo quando a contagem das células CD4 estiver entre 200 e 400. Nas gengivas, língua, parte interna da bochecha e/ou parte superior da garganta (Candidíase orofaríngea), o Candida se desenvolve em grumos brancos que se desfazem, ou causa manchas vermelhas chamadas eritemas. A Candidíase esofágica (na garganta) é mais séria e é considerada como uma doença característica da AIDS. Essas formas de Candidíase podem tornar a alimentação dolorosa e difícil.

A Candidíase genital pode ocorrer na vagina em mulheres e, sob o prepúcio, em homens, causando coceira e dor leve. Em pessoas com avançada infecção por HIV, o Candida pode crescer em outras partes do corpo, como nos pulmões (Candidíase pulomonar).

Analisando as lesões, é fácil diagnosticar a Candidíase na boca ou no esôfago. Médicos retiram uma amostra com um lenço ou fazem um esfregaço para examinar o fungo quando outras partes do corpo estão afetadas.


Tratamento
A Candidíase responde bem aos medicamentos antifúngicos. Existem vários comprimidos disponíveis, como cetoconazol (Nizoral), itraconazol (Sporanox) e fluconazol (Diflucan). Alguns estão disponíveis em outras formas, como solução líquida para Candidíase oral, cremes para infecções na pele ou unha e pessários para Candidíase vaginal. Também são oferecidas pastilhas antifúngicas como clotrimazol, nistatina (Nystan) ou amfotericina, mas, geralmente, os comprimidos parecem ser os mais eficazes.

Os comprimidos antifúngicos podem causar efeitos colaterais, como náusea, vômitos e erupções. O itraconazol e o cetoconazol também podem interagir com outros medicamentos usados por pessoas com HIV. Assim, certifique-se de que seu médico lhe explique sobre quaisquer interações latentes.

Algumas espécies do Candida se tornam resistentes ao fluconazol, especialmente entre pessoas com baixas contagens de CD4 ou aquelas que o vêm tomando por muito tempo.


Prevenção
Caso desenvolva Candida antes de iniciar terapia anti-HIV, talvez você pense que o problema desaparecerá conforme sua contagem de CD4 aumenta e seu sistema imunológico se torna mais eficiente para combater infecções. No entanto, se o Candida persiste, medicamentos antifúngicos são eficazes na prevenção de Candidíase entre pessoas com baixas contagens de CD4. Por outro lado, médicos diferem nas recomendações. Alguns não defendem o uso de medicamentos antifúngicos como terapia preventiva (profilaxia), argumentando que é fácil tratar quaisquer ataques de Candidíase que ocorram e que exposição prolongada aos medicamentos poderia estimular resistência.

Outros, argumentam que a profilaxia antifúngica não causa tanta resistência quanto tratar de episódios intermitentes. Eles ressaltam que a profilaxia pode também ajudar na prevenção de infecções por fungos mais sérias, como Meningite Criptococomal, embora esta seja relativamente rara na Grã-Bretanha.

Iogurte, ingerido ou aplicado às áreas afetadas, ajuda na prevenção da Candidíase crônica, pois contém bactérias que podem interromper o crescimento dos organismos do Candida. Contudo, o iogurte também pode conter organismos que causam intoxicação, então escolha somente aquele rotulado como sendo de ‘rebanho certificado’.

Alguns terapeutas complementares recomendam evitar comida doce, farinha branca e amiláceos, supostamente a fim de privar de comida os organismos do Candida. Se você não aprova essa opção, consulte seu médico ou dieticista para ter certeza de que está obtendo calorias suficiente na sua dieta.




Fonte: Aidsmap
Imagem1: unimedeblumenau
Imagem2: Google

Nenhum comentário: