RSS

27 de novembro de 2008

PANAPANÁ


PANAPANÁ

Já viram um panapaná?
É uma onda interminável de borboletas
Que pousam sobre o pântano fumegante,
Batendo as asas impacientes,
Sorvendo sais da lama,
Num desassossego
De seres que não cansam.

Já viram um panapaná?
As borboletas formam nuvens,
Miraculoso caudal
De pétalas alaranjadas,
Perdidas e ligeiras,
Em busca de flamas brilhantes.

Crisálidas,
Meninas aladas,
Espíritos viajantes,
Esvoaçam como almas saídas
De estranhas moradas.

Atravessei o panapaná:
Era um banhado,
Um brejo
Banhado de flores,
Virei fada
Do lado de lá.


Raquel Naveira
Revista da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras – n°13 – outubro de 2008

Um comentário:

Diana Pilatti disse...

Ao final, fiquei com vontade de virar fada também...