RSS

16 de junho de 2008



Quem me dera encontrar o verso puro, O verso altivo e forte, estranho e duro, Que dissesse a chorar isto que sinto!


Florbela Espanca