RSS

17 de julho de 2012

Milágrimas



Milágrimas 

Alice Ruiz

Em caso de dor, ponha gelo. Mude o corte do cabelo. Mude como modelo. Vá ao cinema, dê um sorriso. Ainda que amarelo. Esqueça seu cotovelo. Se amargo for já ter sido. Troque já este vestido. Troque o padrão do tecido. Saia do sério deixe os critérios. Siga todos os sentidos. Faça fazer sentido. A cada milágrimas sai um milagre. Em caso de tristeza vire a mesa. Coma só a sobremesa. Coma somente a cereja. Jogue para cima, faça cena. Cante as rimas de um poema. Sofra apenas, viva apenas. Sendo só fissura, ou loucura. Quem sabe casando cura. Ninguém sabe o que procura. Faça uma novena, reze um terço. Caia fora do contexto, invente seu endereço. A cada milágrimas sai um milagre. Mas se apesar de banal. Chorar for inevitável. Sinta o gosto do sal. Sinta o gosto do sal. Gota a gota, uma a uma. Duas, três, dez, cem mil lágrimas, sinta o milagre. A cada milágrimas sai um milagre.




Fonte Patrícia Ximenes

Nenhum comentário: